Rua da Constituição, 2105, 2º Andar BU, 4250-170 Porto
+351 220 114 366

Portugal funcionou apenas com energia renovável durante quase três dias

Hoje em dia, estamos inseridos numa sociedade cada vez mais ambientalista devido ao processo de consciencialização ecológica que tem sido levado a cabo ao longo dos últimos anos pelas entidades governamentais tanto em Portugal como no resto do mundo. Portugal, apesar de ser um país de dimensões reduzidas, conta com condições geográficas que permitem a exploração dos recursos naturais renováveis, nomeadamente para a produção de energia, promovendo a eficiência e a sustentabilidade do setor.

Como resultado dessas condições naturais favoráveis e da aposta nas fontes energéticas renováveis, existe cada vez mais uma perspetiva da possibilidade do consumo de electricidade em Portugal ser feito inteiramente recorrendo a recursos renováveis. E sim, isso é possível: entre os dias 9 e 12 de março (num espaço de 69 horas) o consumo de eletricidade em Portugal foi assegurado na íntegra por fontes renováveis. Este fenómeno deveu-se maioritariamente ao facto de nestes dias se ter verificado uma taxa de precipitação bastante elevada, bem como a existência de ventos fortes e constantes. De referir inclusivamente que as centrais eólicas nacionais, só por si, abasteceram o consumo elétrico em cerca de 65% neste período, segundo a APREN – Associação Portuguesa de Energias Renováveis. A mesma fonte indica que a eletricidade de origem renovável produzida neste período de tempo foi de 521 GWh, enquanto o consumo elétrico nacional foi de 408 GWh. Este acontecimento veio claramente comprovar a importância das fontes renováveis para o abastecimento sustentável das necessidades elétricas de Portugal.

Segundo a APREN, “em Portugal, as centrais de energia renovável (hídricas, eólicas, solares, geotérmicas e de biomassa) produzem anualmente, em média, 54% das necessidades elétricas nacionais, o que permite reduzir as importações de combustíveis fósseis em perto de 750 milhões de euros por ano”

Se nos períodos de Inverno se poderá de certa forma conseguir assegurar uma auto-suficiência devido às condições naturais características desta estação (chuva e vento), no Verão essa capacidade de suprir as necessidades energéticas não será tão elevada. Deste modo, torna-se fulcral fazer uma aposta sustentada no aproveitamento da energia solar fotovoltaica para que também nesta altura do ano se alcancem contribuições significativas de fontes energéticas renováveis.

Para que seja possível que o nosso país recorra exclusivamente a fontes energéticas renováveis como fonte de abastecimento, será necessário que sejam desenvolvidos estudos previsionais constantes de forma a antecipar todo o tipo de acontecimentos meteorológicos, o que permite que se desenvolvam estratégias de atuação bem definidas.

A Smartwatt fornece esse tipo de serviços às entidades reguladoras do setor energético, através dos seus algoritmos de previsão baseados em tecnologias inovadoras que permitem fazer um prognóstico de potência de fontes renováveis. Desta forma, acontecimentos como o que se verificou entre 9 e 12 de março poderão tornar-se cada vez mais frequentes com a ajuda de empresas como a Smartwatt.